dezembro 30th, 2010 | Sem Comentários »

Aeroporto de Porto Seguro Final de férias que vem se tornando um pesadelo

(VAnessa Arruda)

O pior dos pesadelos vem se repetindo todo ano sem que nenhuma autoridade tome providências. Estou falando exatamente destes pacotes de férias que uma famosa companhia de viagens de Belo Horizonte vem oferecendo a nós, consumidores, ávidos por conhecer novos lugares. Na hora da venda são oferecidos o paraíso (há de se reconhecer que Porto Seguro é muito bonita) juntamente com o transporte aéreo (aqui é que mora o perigo), hotéis, refeições e passeios inesquecíveis. Em abril de 2009, partimos do Aeroporto de Confins/ B.Horizonte rumo à cidade baiana, pela companhia aérea Web Jet. A chegada foi maravilhosa e a primeira coisa que nos chamou atenção foi o aeroporto de Porto Seguro. Diferente de todos que já conhecíamos, o local mantém referência à história da cidade, lugar onde Pedro Álvares Cabral, no ano de 1500, aportou pela primeira vez, e assim, se deu o descobrimento do Brasil. Tem estilo próprio, arquitetura rústica, todo de madeira. É bem aconchegante e comunga com os atrativos que a cidade oferece. O pesadelo começou na hora de irmos embora. Já no aeroporto, a primeira decepção veio através dos funcionários justificando o atraso do vôo. Alegavam que o nosso avião não poderia levantar vôo, pois como estava chovendo, a aeronave não tinha GPS que permitia vôos por instrumentos. Mas se a TAM e a Gol voavam, este deveria ser o primeiro requisito para a Web Jet operar em qualquer aeroporto. Mas, como no Brasil tudo é possível, pacientemente esperamos. Enquanto isto, o sol apareceria de braços abertos nos convidando a embarcar. Mera ilusão. Se o problema era a chuva qual seria agora o motivo de permanecermos num lugar por mais de 14 horas, sem conforto algum, sem nos ofertarem alimentos ou explicação plausível? Como consumidores lesados e indignados fomos atrás de nossos direitos. Primeiro registrar uma ocorrência. Polícia? Não havia nenhum policial por ali. ANAC? Fechada! Procon? Outro órgão qualquer para registrar a queixa? Nada, nadinha e nem ninguém. Descaso total. Os funcionários da CVC, empresa responsável pelo passeio, não tinham o que informar e nem paciência para as reclamações. Pareciam que já estavam acostumados com tudo aquilo e indiferentes permaneceram. De lá para cá nada mudou. O mesmo problema; a mesma agência, a mesma companhia aérea, a mesma cidade, o mesmo desrespeito. A mídia continua denunciando tal gravidade, mas o que fica claro são os interesses econômicos das companhias aéreas se sobrepondo aos direitos dos pobres mortais passageiros, que pagam caro pelo bilhete aéreo. E olha que a tão ameaçada greve dos aeroportuários sequer havia começado! Como a esperança é última que morre, resta-nos esperar que a prefeitura de Porto Seguro e autoridades da Bahia revertam este quadro. Que adotem medidas punitivas, que não esperem ações dos órgãos competentes, pois estes estão pouco se importando. É preciso urgentemente impedir que estas empresas “sujem” a imagem e os atributos que a Bahia nos oferece! É preciso respeito. Respeito com as cidades onde estas mesmas empresas operam. Sobretudo, respeito com os turistas.

(Matéria publicada no jornal Vespa News de 23/12/2010)

Últimos Posts