janeiro 26th, 2011

        VAnessa Arruda

 

As imagens são tão fortes, tão desesperadoras que de longe não dá pra imaginar o tamanho do estrago.

buy levitra online

No mínimo, assustador. Ninguém que não tenha passado por isto pode imaginar este cenário de guerra.  Estas foram as palavras de uma moradora de Nova Friburgo ao contatar uma amiga aqui de Vespasiano, a sra. Alcione Fernandes, do bairro Célvia,

Solidariedade, generosidade e caridade de alguns têm sido o alívio para aqueles que perderam tudo. Doações de diversos tipos chegam a todo momento e demonstram o quanto somos um povo bom. Um povo que se sensibiliza com o sofrimento e a miséria alheia.

A televisão e diversas mídias têm explorado bastante o tema e inclusive, nos mostram um outro lado da tragédia. Como, por exemplo, a má fé de alguns que roubam donativos ou comerciantes que aumentaram os preços dos produtos de primeiríssima necessidade. Já imaginaram se a lei brasileira fosse igual a do Irã, onde os ladrões têm a mão amputada por crimes desta natureza? Mas também nos mostram o carinho dos professores que anteciparam a volta às aulas e foram ao local distrair as crianças, diversas pessoas que abriram sua casa para acolher dezenas de outras pessoas, depoimentos dos bombeiros que choram ao relatar os salvamentos e muito mais.

A maioria dos cidadãos de nossa cidade, com certeza, ajudou enviando qualquer donativo para a Cruz Vermelha. Mas, muito embora, Vespasiano, graças à Deus, não tenha sofrido enchentes, fica a seguinte pergunta: – o que estamos fazendo para ajudar instituições que trabalham pelas nossas crianças, nossos velhos e pessoas indefesas? Creches, asilos, Casa de Passagem, Aspave e muitas outras estão recebendo nosso reconhecimento, nossa gratidão, nossa ajuda?

Há várias formas de ajudar. Ações voluntárias que fazem a diferença. Ações que geram dignidade pra quem recebe, paz e bem-estar a quem está doando. Podemos citar o asilo, cujo local precisa de obras, de pessoas que possam visitar os idosos e ler uma estória, fraldas geriátricas, material de limpeza. Terapeutas, psicólogos, fonaudiólogos, fisioterapeutas e enfermeiros também podem doar seu trabalho nem que seja por 30 minutos diários. Atos simples que podemos chamar de generosidade. A própria família destes idosos poderia cumprir o seu papel e buscá-los para passar um final de semana em casa. Pasmem, pois isto raramente acontece!

É bem certo que muitos não ajudarão e ainda dirão que é uma obrigação do Estado. Concordo plenamente. É uma obrigação do município, dos políticos e do Estado, mas também somos responsáveis e podemos contribuir de alguma forma.

No momento a ASPAVE (Ação Social da Paróquia de Vespasiano) vem desenvolvendo ações para resgatar a cidadania e auto-estima daqueles que mais necessitam. A começar pela Cooperativa de Reciclagem que gera renda para um grupo de jovens e ainda contribui para melhoria ambiental. Esta é outra opção de ajuda que os moradores daqui possuem. Separar material a ser reciclado, se possível, encaminhá-lo para as gaiolas de coleta ou solicitar o caminhão, que já passa em alguns bairros de nossa cidade, para recolhê-lo. Também é preciso mensalmente de 150 cestas básicas para as famílias cadastradas junto à Igreja Matriz. O município tem aproximadamente cem mil habitantes e precisamos apenas de 150 pessoas para doarem as cestas,  que custam no máximo $35,00 (trinta e cinco reais). Garantidas até agora temos poucas cestas. E o restante das famílias?

É aí que entra você que está lendo esta matéria. Que atenda este pedido de socorro.  Pessoas que ajudam são pessoas-anjos enviadas de Deus. São pessoas que percebem que a melhoria do mundo passa pelas nossas mãos e pelos nossos corações. Ajudar aqueles que necessitam faz com que sempre tenhamos crédito com Deus e com certeza, sairemos ganhando muito mais do que estamos doando.

Para quem se sensibilizar e quiser ajudar o Lar dos Idosos fica na Rua São Paulo, 731- Célvia – 3621-1863 ou pelo site www.lardosidososnsauxiliadora.blogspot.com/  Os nossos velhinhos ficarão imensamente agradecidos. O telefone da ASPAVE é 3621-2722, no horário de 13 às 17 horas e da Coordenadora Paroquial, Geralda Magela Drumond Cedro, mais conhecida como Tosa, é 3621-1578.

Lembrem-se de que não é preciso catástrofe para tocar nossos corações. Todo dia é dia para nos tornar mais humanos.

 (Matéria publicada no Jornal Vespa News de jan/2011)

Vanessa Arruda – www.vanessaarruda.com.br

Você pode acompanhar as respostas para este post assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

Deixe um comentário