agosto 12th, 2010

 

 Bater ou não bater? Eis a questão!

 Vanessa Duguet Arruda

 

 Um projeto de lei que proíbe palmadas nos filhos, ainda a ser aprovado no Congresso Nacional, tem levantado muitas discussões e debates. Os pais estão temerosos e cheios de dúvidas. Educadores e professores tentar argumentar e justificar a favor ou não ao projeto.

celebrex 400mg

Outros já dizem que tal assunto não deveria partir do Presidente Lula, pois assunto de família, cada qual sabe a melhor forma de lidar com os seus. 

Afinal, como educar sem ferir os princípios do Estatuto da Criança e Adolescente? Até que ponto dar uma palmadinha estará interferindo no desenvolvimento físico e moral dos filhos? Um tapa considerado corretivo, desde que não seja violento, pode ser considerado como tratamento desumano, vexatório, aterrorizante?

Na opinião do médico Silmar Paulo Moreira Rates, pediatra e Especialista em Adolescência, agressão física gera uma reação igual ou contrária. Ou seja, se a criança não pode revidar na hora futuramente irá se manifestar de um jeito não muito agradável. Às vezes, uma repreensão não precisa ser através de palmadas ou tapas. Basta segurar a criança, contemplá-la com firmeza e fazê-la refletir sobre o que estava fazendo de errado, complementa Dr. Silmar.

Indagado se esta postura funcionava para qualquer idade, o especialista, disse que sim. “Criança de qualquer idade pode entender isto. Depende muito da relação pais e filhos e isto começa desde a gravidez. O ser que está se formando recebe toda aquela energia e sabe se está sendo amado ou rejeitado.”

- Pelo projeto, então, não poderei sequer dar uns tapas no meu filho na hora da pirraça? E em casos que requer uma punição mais severa (desde que não seja violenta) o que vou fazer? Vou deixar o filho me dominar? Não estarei assim criando os “Brunos e Mizaels” da vida, que cometem assassinatos brutais ou se enveredam para as drogas? Esta pergunta foi feita pelo pai de família, Carlos Alberto, 61 anos, e que se assustou ao saber do projeto.

Para Lélia Virgínia, 40 anos, Auxiliar de Laboratório, com formação em Gestão de Recursos Humanos, a questão vai muito além disto tudo. Ela tem dois filhos de 15 e 09 anos e sua maior preocupação é que se tornem homens de caráter e trabalhadores. Para isto ela os ensina que mais importante que ter a formação de médico (CRM), dentista (CRO) ou Farmacêutico (CRF), é possuírem o CRC. Significa Compromisso, Responsabilidade e Conseqüência. E a conseqüência pode ser negativa ou positiva. Isto dependerá exclusivamente deles. Ela quer sim, que eles estudem e se formem e obtenham seus diplomas, mas para isto terão que estar em dia com o CRC. Como? Educando-os, ensinando-os a guardarem seus pertences e livros no lugar, escovar os dentes sem ter que lembrá-los a toda hora. Enfim, eles sabem que tem obrigação de estudar de tirar notas boas, de manterem o ambiente que vivem limpo e organizado, de respeitarem pais e avós. E se não fizerem? Simplesmente corto o computador ou a televisão ou o vídeo-game por uns dias; completa a mãe que se diz muito orgulhosa dos filhos que tem.

Dr. Silmar Rates compartilha da mesma opinião e aconselha aos pais, primeiramente dar muito carinho e amor, sem, contudo, esquecer dos limites. Criança e adolescentes pedem e precisam de limites. E limite não precisa ser na forma de violência. Quando recebem carinho e amor com certeza irão transmitir o que receberam. Vão saber respeitar os próprios limites e os de outras pessoas também, concluiu o médico.

(Matéria publicada no Jornal Tribuna das Gerais, agosto/2010)

Você pode acompanhar as respostas para este post assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

6 Comentários para “Bater ou não bater? Eis a questão!”

www.vanessaarruda.com.br disse:

It is a pity, that now I can not express – I hurry up on job. But I will return – I will necessarily write that I think on this question.

Greetings from the Speedy DNS

www.vanessaarruda.com.br disse:

Hi, this article is so good. Could i use these informations for my blog?. Greetings from the Speedy DNS.

vanessa disse:

Thank You .. You can use the informations you need but you have to use my name as the original authoress.

vanessa disse:

I’ll be waiting for your answers.

vanessa disse:

Thank you! Have a nice day!
VAnessa

Deixe um comentário