abril 17th, 2012

Contestação masculina

A história não é bem assim não, moça! Quando li o que você escreveu sobre como conquistar uma mulher quase chorei. Então, resolvi te ligar e deixar bem claro que existem mulheres e mulheres. Vou contar o que aconteceu comigo e verá se tenho razão ou não.
Eu tive uma noiva que achava que era a mulher da minha vida. Tudo começou quando abri uma clínica de fisioterapia em Maceió e ela como fisioterapeuta foi trabalhar comigo. Um mulherão! Linda mesmo! E eu? Um homem baixinho, mais ou menos “feiinho” sequer imaginava que poderia ficar com aquela modelo. Não sei como o romance começou. Mas começou. Desfilava com ela por toda a cidade. Mandava flores e cartões apaixonados. Comprei jóias, fizemos várias viagens internacionais. Minha família a conheceu e daí em diante ficamos noivos. Compromisso sério. O financeiro da minha clínica ficou por conta dela. A senha do meu cartão de crédito também, tamanha era minha confiança nela.
Feliz e certo que o casamento aconteceria e que seriamos felizes para sempre, dei-lhe de presente um curso de inglês em Londres. A encontraria no final do curso e voltaríamos juntos para o Brasil. Neste intervalo, eu fazendo um curso de doutorado na Argentina e ela aqui supostamente arrumando as malas; descobri que tinha um outro homem na jogada. Ai, meu Deus, quanta decepção, quanta tristeza, quantas lágrimas. Chorei mesmo e muito. E não tenho vergonha em dizer que chorei. A decepção foi muito grande. Fiz tudo como manda o figurino para se conquistar uma mulher. Dos carinhos aos presentes. O que fiz de errado? Não é assim que se conquista uma mulher? Certa vez, me lembro muito bem, quando ela teve dengue, fiquei ao seu lado dei chazinhos e chamegos. Eu, “euzinho”, o idiota, o corno manso. Manso, não! Dei fim à história. Ainda por cima levei um prejuízo danado, pois tive que dividir um apartamento com a espertinha, caloteira e mau caráter. Pode uma coisa desta? Sem falar no rombo que ela deu no cartão de crédito e no meu emocional.
Agora duvido que alguém possa me contestar depois de ler um pedaço de minha história. História esta que faço questão de assinar.
Assinado: Homem decepcionado com a mulher que não mereceu ser conquistada.

(Matéria publicada no Jornal Tribuna das Gerais em maio/2012)

Você pode acompanhar as respostas para este post assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

Deixe um comentário