dezembro 30th, 2015

Fé que remove montanhas
Diante de tantas notícias ruins, o testemunho de um milagre nos enche de esperança e fé. Daniele Freitas, 39 anos, moradora do bairro Célvia de Vespasiano, Professora e intérprete voluntária de Libras na comunidade Gospamira, relata um acontecimento importante ocorrido em sua vida, digno de ser partilhado:
“Por um ano senti fortes dores no estômago e fui diagnosticada com costocondrite, que significa cartilagem inflamada da costela. Tomava fortes remédios para dor e nunca melhorava.
Sou atleta, participo da São Silvestre e constantemente participo de corridas na Lagoa da Pampulha, faço natação três vezes na semana, não bebo, não fumo, tomo muita água e detesto comidas gordurosas. Ou seja, me enquadro no grupo de pessoas saudáveis. Foi numa corrida de rua que passei mal e as dores ficaram tão insuportáveis que fui levada ao posto médico. Então, após uma bateria de exames fui diagnosticada com esteatose (gordura no fígado) evoluindo para hepatomegalia (fígado inchado). Uma das causas desta doença é a ingestão de álcool, hepatites, obesidade, diabetes e muitas outras. O tratamento consiste em agir na raiz da doença e muitas vezes é preciso um transplante de fígado.
No dia 19 de abril de 2015, estava na Igreja da Gospamira, em Belo Horizonte onde tive o privilégio de interpretar a reza do terço dirigida por Pedro Siqueira. Para quem não o conhece ele é Advogado, trabalha na Procuradoria da União e vem arrastando multidões há mais de 20 anos, testemunhando sobre Nossa Senhora e sobre os Anjos da Guarda.
Neste dia ele anunciou que N. Senhora iria agir nas pessoas com doenças incuráveis e em seguida, fez um momento de silêncio. Nesta hora pedi à Gospa que me desse um fígado novo, através da cura. Pedro continuou rezando o terço e eu interpretando pelos sinais. No final, ainda maravilhada com a palavra ouvida, fui para casa e almocei fartamente. Não passei mal como há um ano vinha passando. Não tive dores, nem incômodos. Pelo contrário, estava leve e desejando me alimentar mais e mais. Foi então, que percebi que havia sido curada.
Fiz novos exames para avaliar o estado do meu fígado. Não eu que eu duvidasse da cura, mas, sim, para comprovar e testemunhar o que foi operado em mim. E todos se mostraram normais.
Hoje, posso dizer que fui curada. Mesmo sendo uma pessoa pecadora e servindo muito pouco a Jesus e à Nossa Senhora, provei do amor da Mãe, do amor do Pai. Certamente não poderia deixar de seguir os ensinamentos do Papa Francisco, quando pede que levemos o Evangelho a todos, salientando que a nossa missão como cristãos é de evangelização e de testemunhos. Amém”.
Desejo a todos um Natal de luz, amor, paz, alegria e boa vontade para todos os homens!

VAnessa Arruda
Mestre em Administração, Jornalista, Pós Graduada em Marketing Político, Diretora Administrativa do Laboratório São Lucas, Escritora, Poeta, Professora Universitária

Matéria publicada no Jornal Tribuna das Gerais em dez/2015.

Você pode acompanhar as respostas para este post assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

Deixe um comentário