abril 14th, 2013

Um pé de manga
Na praça bem em frente ao Laboratório tem um pé de manga. Manga Ubá. A melhor, dizem alguns, pois não tem linha, é muito saborosa. A sua beleza é incontestável. Seus frutos parecem brincos verde-amarelos dependurados como se fossem bolas de Natal bem tropical. Seu aroma é inebriante.
Dizem os místicos que se alguém estiver com energia baixa, triste ou desanimado basta abraçar um pé de manga que ele pode libertar qualquer pessoa destes sentimentos negativos.
Porém, o que observo desta árvore majestosa é o seu poder que vai além do misticismo.
Seus frutos são cobiçados. Todos que passam por ela procuram a preciosidade no chão. Não tem idade, não tem riqueza, não tem intelecto que impeça a procura. Até o Doutor todo de branquinho para sua caminhonete bem debaixo dela e fica catando a fruta. – Oh, que bonita, inteira, sem nenhum bicho. Sabia que não tem graça, se comprada? Cara de menino feliz sai o Doutor rindo da sua travessura. Espontaneidade, liberdade, lembranças de infância.
No mês de dezembro ela se enfeita com frutos que vão ficando amarelinhos, atiçando nossa vontade de comê-los e também a nossa vontade de subir na árvore como alguns loucos ou corajosos o fazem sem medo da altura, sem medo da queda. O prazer de pegar a fruta naquela altura supera qualquer outro sentimento.
Na praça descuidada, um pé de manga que não é de ninguém, mas é de todos. É pano de fundo para as fotos dos recém-casados. É alvo daqueles que atiram as mangas encontradas no chão para acertar as que estão lá no alto.
Atrevida, a mangueira ri daqueles que erram a mira e não conseguem capturar seus frutos.
Hospitaleira, faz com que o lugar seja um ponto de encontro de namorados, amigos, crianças com skates ou bolas e motiva sorrisos em muitos rostinhos de bicicletas que passam por ali.
Generosa, com sua sombra convida alguns a dormirem debaixo de seus galhos, abriga pássaros e até uma vasta erva de passarinho.
É exatamente isto que me encanta. Que encanta a todos. Um pé de manga que é muito mais que uma simples árvore.
VAnessa Arruda www.vanessaarruda.com.br

Você pode acompanhar as respostas para este post assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

Deixe um comentário