abril 12th, 2012

Transversais
(VAnessa Arruda)
Dentro do escuro
alheia a tudo
trancada a chave
sem fechadura
olhando o céu
e as estrelas.
O pensamento a mil
sou eu que finjo a tudo, nada
E vivo assim
sem fantasia
com muito temor.

Dentro das retas
já nem sei das horas
Só encontro o acaso
que na sua incidência
brotou uma lágrima
apenas para mostrar
que na plenitude do amor
quem mais ama sou eu.

Você pode acompanhar as respostas para este post assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

Deixe um comentário