maio 10th, 2014 | 2 Comentários »

Homenagem ao Professor Mauro Calixta

Sempre chego na FPL, em Pedro Leopoldo, na hora do almoço.Todo sábado é isto. Raramente almoço na faculdade, mas deixar de passar pela cantina e de cumprimentar um a um é impossível. Hora boa.
Hora que todos estão reunidos para se alimentarem, para um bate papo. Oportunidade de encontro com os coletas e professores e de aprender um pouco mais com todos eles. Hora gostosa.
Certa vez, estavam almoçando o Professor José Edson e o Professor Mauro Calixta. Eu ainda não havia formalizado o processo no qual teria o Mauro como meu Orientador. Mas já havia um pacto entre nós que isto aconteceria muito em breve.
Assim, neste dia, perguntei ao Professor José Edson, do qual nunca fui aluna, se ela sabia porquê o Calixta era um homem de sorte. Porque é muito inteligente? Um bom amigo? Escreveu vários livros? Não para todas as respostas. E ele, o Professor Mauro, tímido como ele só, do jeitinho dele, sorria e calmamente continuou seu almoço. Já sabia a resposta, pois sempre brincava assim com ele, dizendo que por ser sua futura orientanda, poderia se considerar um homem de sorte. Quanta pretensão a minha. Mas, foi um momento de alegria e descontração.
Inesquecível.
Quando fui pedir a ele que assinasse o termo que o legitimava como meu Orientador, a resposta, após a assinatura, foi uma gargalhada gostosa. Também, depois de perguntar se por livre e espontânea pressão ele aceitava meu convite…
Como morávamos em lados opostos da Lagoa da Pampulha eu, ousadamente, o intimidava falando que ele assinaria nem que eu tivesse que atravessar a lagoa, à nado.
Aprendi muito com este homem. Muito sobre Marcas, Marketing, mas também muito sobre família e sobre vivências. E como seus olhos sorriam quando falava do neto!
Felizes somos nós que tivemos a sorte de conviver com ele, de aprender e de partilhar conhecimentos.
Relembrando estes detalhes ao chorar a sua morte, a última lembrança que tenho é exatamente dele na cantina, de pé, ao sol, mexendo nos bolsos, com aquele ar tranquilo, próprio dele mesmo. Acenei de longe e fui retribuída com outro aceno. Ali foi a nossa despedida. Se eu soubesse, juro, teria dado um abraço de carinho, de amizade, de gratidão e de respeito.
Aproveito para reproduzir as palavras do Professor Marco Antônio Machado, ao trocarmos e-mail, chorando a nossa dor: “todos nós lamentamos, e muito. Mauro não era simplesmente um professor e um amigo. Era muito mais do que isto. Professor, amigo, conselheiro e referência para todos nós. Tanto no aspecto profissional, quanto no aspecto humano. Mauro demonstrou em cada ação, cada atitude, cada palavra, o quanto uma pessoa pode ser uma alta autoridade num assunto e, ao mesmo tempo, um poço de humildade e de bondade. Fica um imenso rombo no coração de todos nós. E o Marketing e a Estratégia perdem grandemente em Inteligência e Sabedoria”.
Que Deus nos acalme e nos encha de paz, pois como escreveu a mestranda Raquel Moreira, também aluna dele: “Realmente ele fez a diferença nesta terra e não passou pela vida à toa. Tenho certeza que o céu hoje está mais feliz! Como diz minha mãe … Deus se alegra em receber as pessoas boas!”
Vanessa Arruda – 08/05/2014 – duguet@bol.com.br

Últimos Posts